AMAVI Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí

quarta, 08 de setembro de 2021

TJSC - Municípios de SC podem participar do termo de cooperação para compras compartilhadas

A pandemia da Covid-19 não foi obstáculo para a inovação do Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC), que firmou o termo de cooperação para as compras compartilhadas com outros órgãos e poderes. Além do Judiciário catarinense, o termo reúne o Tribunal de Contas do Estado (TCE), o Ministério Público de Contas (MPC), a Assembleia Legislativa (Alesc) e o Executivo Estadual. A intenção é integrar ainda o Ministério Público (MPSC) e os municípios interessados. No programa Palavra do Presidente - Ao Vivo, nesta quinta-feira (2), as principais vantagens foram expostas por representantes dos respectivos órgãos e poderes.

O presidente do Judiciário de SC, desembargador Ricardo Roesler, aproveitou para comunicar que uma nova resolução deve ser publicada nas próximas semanas. Com o avanço da vacinação, a flexibilização dos atos presenciais também será ampliada aos poucos. “A compra compartilhada reúne dois pilares da nossa administração, a integração e a inovação. É também uma ação do nosso planejamento estratégico e da Diretoria de Material e Patrimônio (DMP) que tem o único objetivo de aprimorar a eficiência pública. Isso nos honra muito”, anotou o dirigente máximo.

A diretora da DMP, Graziela Cristina Zanon Meyer Juliani, lembrou que a primeira compra compartilhada do PJSC foi com o MPSC, em 2015, para a gestão vacinal. Desde 2019, o Judiciário busca a aproximação com outros órgãos e poderes. Para chegar até a assinatura do termo de cooperação, em 11 de maio deste ano, foram meses de preparação. As principais vantagens são a redução do preço pelo volume da compra e o ganho em escala, além da transparência dos atos e as trocas de experiências.

“Realizamos um levantamento e chegamos a conclusão que um processo de licitação tem um custo de R$ 13.181,39. E, por isso, pensamos o por quê de fazer cinco licitações, se podemos fazer apenas uma. É um ganho para a administração pública com a troca de experiência da fase externa das contratações. E os municípios podem participar também, porque terão uma economia financeira e o ganho em escala”, explicou a diretora.

A primeira compra compartilhada, após o termo de cooperação, acontece entre o PJSC e o TCE para a aquisição de papel toalha. A licitação acontece em 14 de setembro. A servidora da Coordenadoria de Licitações e Contratações do TCE Marina Ferraz de Miranda participou ativamente para a implantação do termo de cooperação. “A ideia é aprimorar a compra compartilha que é uma diretriz da nova lei de licitações. Importante pela troca de boas práticas”, afirmou.

A diretora de Gestão de Licitações e Contratos da Secretária de Estado da Administração de SC, Karen Bayestorff, lembrou que as contas públicas representam 13% do volume financeiro do PIB nacional. “Pela literatura, a economia geral da centralização de compras é de uma redução de 10% a 25%. O poder de compra do Estado que já é grande fica ainda maior. As centrais de compras já são adotadas há anos pelos países europeus, além de Estados Unidos e Canadá”, destacou.

Por fim, a analista de Contas Públicas do MPC Vanessa Wildner Martins comentou sobre a dificuldade de licitar pequenas quantidades de materiais. “O Ministério Público de Contas é um órgão pequeno, com 50 servidores e três procuradores, e passamos dificuldade para encontrar fornecedores interessados. A compra coletiva trará benefícios a todos. Para o próximo ano, já queremos compartilhar a aquisição de itens de informática e mobiliário”, comentou.

Fonte: Tribunal de Justiça de Santa Catarina

Fonte: Newsletter Jurídica SÍNTESE

Últimas notícias jurídicas

10 de agosto de 2022
STF - Plenário veda pagamento de salário inferior ao mínimo para servidor em horário reduzido
Para o STF, a medida viola dispositivos da Constituição e gera precariedade incompatível com o princípio da dignidade da pessoa humana.Por maioria, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF)...

15 de julho de 2022
EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 124, DE 14 DE JULHO DE 2022
Institui o piso salarial nacional do enfermeiro, do técnico de enfermagem, do auxiliar de enfermagem e da parteira.As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do § 3º do...

27 de junho de 2022
Lei Complementar nº 194, de 23.06.2022 - DOU - Edição Extra de 23.06.2022
Altera a Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966 (Código Tributário Nacional), e a Lei Complementar nº 87, de 13 de setembro de 1996 (Lei Kandir), para considerar bens e serviços essenciais os...

27 de junho de 2022
TJSC - Interdição de comércio por risco à saúde pública prescinde de processo administrativo
O Tribunal de Justiça manteve decisão da comarca de Joinville que negou liminar em mandado de segurança para anular auto de interdição lavrado pela polícia militar contra um comerciante daquela...

22 de junho de 2022
DECRETO Nº 11.099, DE 21 DE JUNHO DE 2022
Regulamenta o art. 10-A da Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 13.860, de 18 de julho de 2019, para dispor sobre a elaboração e a comercialização de produtos alimentícios de...

20 de junho de 2022
STF - Salário-educação deve seguir número de alunos matriculados
O Plenário concluiu que a EC 53/2006 é categórica ao prever apenas esse critério para o repasse do benefício aos estados e municípios. Decisão vale a partir de 2024.Por maioria, o Plenário do...

14 de junho de 2022
STJ - Repetitivo afasta improbidade em contratação de servidor temporário sem concurso quando autorizada por lei local
​No julgamento no Tema 1.108, sob o rito dos recursos repetitivos, a Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) definiu que "a contratação de servidores públicos temporários sem...

14 de junho de 2022
STF vai discutir reflexos do piso nacional no vencimento de professores da educação básica estadual
O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) vai analisar a possibilidade de adoção do piso salarial nacional como base para vencimento inicial de professores da educação básica da rede pública...

03 de junho de 2022
TESE FIXADA Contratação sem concurso autorizada por lei, por si só, não é improbidade, diz STJ
A contratação de servidores públicos temporários sem concurso público, mas baseada em legislação local, por si só, não configura a improbidade administrativa prevista no artigo 11 da Lei...

AMAVI - Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí
CNPJ: 82.762.469/0001-22
Expediente: Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 17h.
Fone: (47) 3531-4242 - Endereço: Rua XV de Novembro, nº 737, Centro, Rio do Sul/SC
CEP: 89160-015 - Email: amavi@amavi.org.br
Instagram
Ir para o topo

O portal da AMAVI utiliza alguns cookies para coletar dados estatísticos. Você pode aceitá-los ou não a seguir. Para mais informações, leia sobre nossos cookies na página de política de privacidade.